Saiba como proteger a safra 2019/20 da atual fase de incertezas nos mercados

A guerra comercial entre Estados Unidos e China e outros fatores geram tensão e sinalizam que o produtor deve procurar investir em gestão para planejar bem a safra

As perspectivas para a safra 2019/20 ainda não formaram um desenho claro. Existem incertezas no mercado com relação aos preços dos grãos. Questões políticas e econômicas estão sacudindo os mercados e o ano vai exigir mais planejamento e gestão por parte dos produtores.

Um dos principais fatores que deixam os produtores em alerta é a guerra comercial entre Estados Unidos e China. “No ano passado, a guerra comercial trouxe um prêmio para a soja brasileira que ajudou demais o produtor. Esse prêmio sobre o preço em dólar do bushel fez com que a soja brasileira tivesse uma rentabilidade interessante. Mas hoje não temos nada definido sobre a guerra comercial e não sabemos como isso vai impactar o preço”, afirma Fabio Prata, diretor de Marketing de Clientes da Bayer.

A incerteza sobre o desenvolvimento da safra de soja nos Estados Unidos é outro ponto de atenção para os produtores do Brasil. “A safra americana foi plantada com atraso por excesso de chuvas e ainda não sabemos como será”, diz Prata. Uma menor oferta de grãos nos Estados Unidos pode abrir oportunidades para o produto Brasileiro no mercado externo.

Por outro lado, a China está protagonizando uma crise sem precedentes no mercado de carne suína devido ao surto de Peste Suína Africana (PSA), uma febre incurável que causa a morte do suíno em cerca de 10 dias. A crise é tão grave que o rebanho suíno chinês pode ser reduzido em 50% até o fim de 2019, de acordo com estimativa do banco holandês Rabobank.

O surto impacta o mercado de grãos, já que a soja integra a alimentação desses animais e a China é o principal comprador global da oleaginosa. “A peste suína está devastando boa parte do rebanho de suínos da China, que é uma das principais fontes de consumo de soja do mundo. A demanda por soja vai ser menor”, diz Prata. Na projeção de agosto, a China já estima reduzir em 1,5 milhão de toneladas a demanda por soja, com um volume total de 83,5 milhões de toneladas de soja importadas em 2019.

Outro fator de impacto nos preços dos grãos no país é a taxa de câmbio. Nos últimos dias, o Dólar voltou para patamares próximos aos R$ 4,00 em função das incertezas sobre a economia global. No começo do mês de agosto a cotação era cerca de R$ 3,80. “A conjunção desses fatores deixa o agricultor brasileiro em dúvida sobre qual vai ser o preço da saca de soja que ele vai colher. É uma safra diferente, o mercado está tenso e o produtor se pergunta quanto vai investir”, opina Prata.

 

Fortaleça o negócio agrícola

Para driblar a fase de instabilidade, vale a pena buscar soluções capazes de melhorar a gestão da fazenda. A Rede AgroServices apoia o agricultor nessa tarefa, oferecendo inúmeros serviços para que o produtor tenha mais segurança no planejamento de safra e conquiste uma melhor rentabilidade. “O produtor pode buscar ferramentas de proteção da safra dele e de gestão financeira para evoluir e desenvolver a propriedade dele”, diz Prata. O seguro agrícola é uma das opções mais importantes, pelo fato de proteger o patrimônio do agricultor dos riscos climáticos, resgate por pontos aqui. Leia também: produtores podem contratar seguro agrícola na Rede AgroServices.

Para se proteger da oscilação das cotações, variação do dólar e buscar as melhores oportunidades de prêmio no porto, o agricultor pode receber a orientação de especialistas e ficar bem informado para vender a soja na hora certa. Confira serviços em comercialização de safras para resgate por pontos na Rede AgroServices aqui. “A comercialização de soja tem muito espaço para melhorar. O produtor pode planejar mais as vendas futuras, fazer hedge travando o custo de produção, vender escalonado para conseguir um preço médio melhor. Há ferramentas para profissionalizar a comercialização”, explica o diretor Fabio Prata.

Outra boa alternativa é incrementar o manejo, adotando tecnologias para monitorar as operações agrícolas e combater pragas, doenças e plantas daninhas com maior eficiência. Assim, o produtor consegue reduzir perdas e elevar a produtividade, aumentando consequentemente a sua renda. “O produtor digitalizado produz mais. O FieldView por exemplo é uma ferramenta que vem a calhar porque com ela o produtor consegue extrair o máximo de cada gleba. O produtor consegue adequar melhor a aplicação de insumos, economiza dinheiro e produz mais”, afirma Prata.

A tecnologia Climate FieldView é uma plataforma digital completa para monitorar todos os detalhes das operações agrícolas. O sistema coleta e processa os dados, gerando relatórios automaticamente para que o produtor possa tomar as melhores decisões de manejo em tempo real. A plataforma reúne imagens de satélites, dados coletados das máquinas agrícolas e ainda pode importar outros dados históricos da fazenda e mapas de fertilidade, permitindo que o produtor crie zonas de manejo e explore o máximo potencial produtivo. Conheça e resgate o FieldView por pontos da Rede AgroServices aqui.

Compartilhe!

COPYRIGHT © REDE AGRO S.A - Última atualização: 09/09/2019 (1.0.3225)